Comissão técnica do Blaze muda radicalmente a cara do time.

A GROSSERIA COMEÇA NA SIDELINE

Em 2016 o Blaze chegou às semifinais da LiFFA em uma temporada repleta de incertezas. O ano virou e com a novidade de ingressar em uma modalidade mais competitiva, o receio de repetir as tímidas atuações do ano anterior ainda permanecia.

Ao assumir o cargo de head coach, Antonio Calixto Junior (AJ) preencheu a sua comissão técnica de pessoas experientes e com vontade de mudar o trabalho da equipe. AJ atribui à melhora da equipe não só ao trabalho da sideline, mas também à confiança percebida dos coordenadores pelos atletas. “O psicológico do jogador está em outra dimensão, assim podendo refletir em coisas adversas nos jogadores. ” Assinalou AJ.

Um dos principais destaques da pré-temporada e até agora da temporada regular, o ataque do Blaze vem mostrando que as dúvidas sobre as dificuldades de pontuar se encerraram. Foram mais de 100 pontos até agora. A evolução do jogo aéreo tirou a previsibilidade do ataque que era majoritariamente terrestre. O coordenar Kevin Azevedo atribui essa evolução à um misto de elementos: “Primeiramente a OL teve uma crescente de qualidade enorme, dando mais tempo para o QB. E a presença do WR Tomás Gonçalves, um jogador bastante atlético, praticamente completo” afirma.

Outro ponto de dúvidas no começo da temporada era como a defesa ia se portar com tantas peças novas. E após cinco jogos (dois da pré-temporada e 3 da temporada regular) já foi evidenciado que a grosseria da defesa só aumentou. Segundo o Marcos Ferreira, o Batata: “A postura defensiva do Blaze é contagiante. Nossa unidade é a mais experiente, ela energiza o restante do time, o ataque e principalmente os Special Teams. Para grosseria sem deslealdade é preciso compreender que o FA é um esporte físico em ambos os lados da bola. Se preparar fisicamente é tão importante quanto praticar técnicas e táticas. ”

Acompanhando o crescimento da equipe, os times especiais chegaram a um nível em que não há mais crises de segurança. Thiago Villas garante a evolução do trabalho a duas pessoas: “todo esse trabalho não pode ser creditado só a mim, o HC AJ e o Ex-kicker Tubarão têm me ajudado bastante. Temos buscado estudar muito o time adversário e assim usar da melhor forma as ferramentas que temos em campo. Temos um ótimo material humano excelente. Muitos atletas que se dedicam e se empenham ao máximo para fazer cada jarda ser uma realidade. ”

O próximo compromisso do Blaze será dia 8 de outubro contra um duro adversário, o Macaé Oilers. Nos bastidores o jogo é tratado como uma final antecipada e vai revelar o líder da chave e possivelmente do ranking geral.

Texto: Yuri Mello

Foto: Stephany Airola

Leave a Reply